Ir para o conteúdo

Prefeitura de Cássia-MG e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura de Cássia-MG
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Legislação
ARRASTE PARA VER MAIS
LEGISLAÇÃO
Atos relacionados
INTERAÇÃO
Anotação
Marcação
BUSCA
Expressão
EXPORTAÇÃO
Código QR
Baixar
Compartilhar
COLABORE
Reportar Erro
QRCode
Acesse na íntegra
LEI ORDINÁRIA Nº 1538, 12 DE AGOSTO DE 2013
Assunto(s): I S S Q N, Tributos
Em vigor

LEI Nº 1.538/2013



“INSTITUI A NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-E) E DECLARAÇÃO ELETRÔNICA DE SERVIÇOS (DES) NO MUNICÍPIO DE CÁSSIA/MG, E DÁ OUTRAS PROVEDÊNCIAS”.


A Câmara Municipal de Cássia/MG APROVOUe eu, Prefeito Municipal, SANCIONO e PROMULGO a seguinte Lei:


Art. 1º. Fica instituída a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica – NFS-e, referente ao Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza – ISSQN, que consiste no documento emitido e armazenado eletronicamente por ocasião da prestação de serviços, no âmbito do Município de Cássia/MG.


Art. 2º. Fica instituída ainda, a Declaração Eletrônica de Serviços, periódica ou não, que consiste no documento emitido e armazenado eletronicamente, que visará o controle mensal dos serviços prestados e tomados.


Art. 3º. A Declaração prevista no artigo anterior fará prova unicamente a favor da Administração Tributária e poderá ser feita, inclusive, eletronicamente, e servirá como documento imprescindível para as ações de cobrança dos créditos tributários do ISSQN dos declarantes, tanto prestador quanto tomador de serviços no âmbito do Município.


Parágrafo Único. Os valores declarados e não pagos ficarão sujeitos à inscrição em dívida ativa, independentemente de qualquer outra formalidade.


Art. 4º. Após a publicação da presente Lei, o Poder Executivo publicará Regulamento que deverá:


I - definir modelo da NFS-e e informações que deverão nela conter;

II - disciplinar a emissão da NFS-e, definindo, inclusive, os contribuintes sujeitos à sua utilização;

III - disciplinar a Declaração Eletrônica de Serviços - DES, definindo os contribuintes obrigados a declarar os serviços prestados e tomados;

IV - definir o prazo para entrega da apuração dos valores incidentes sobre a prestação de serviços;

V - definir o prazo para pagamento da guia de recolhimento do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISSQN;

VI - disciplinar a utilização do Recibo Provisório de Serviços – RPS;

VII - definir prazo para a obrigatoriedade de emissão da referida Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e).


§1º. O contribuinte que não atender a obrigação de emissão da NFS-e e Declaração Eletrônica dos Serviços Prestados e Tomados fica sujeito à aplicação de multa de 03 (três) Valores de Referência do Município - VRM, sendo aplicada em dobro nos casos de reincidência.


§2º.O não recolhimento da guia referente ao Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISSQN ensejará sua inscrição em Divida Ativa Municipal e posterior cobrança administrativa ou judicial, observados os procedimentos e processos regulamentares.


Art. 5º. Os contribuintes não sujeitos na forma de Regulamento, à obrigatoriedade de emissão da NFS-e, e que optarem espontaneamente pela sua emissão, ficarão sujeitos aos dispositivos desta Lei e à sua regulamentação, em caráter definitivo.


§1º. A NFS-e não precisa ser declarada na Declaração Mensal de Serviços Eletrônica; a mesma será lançada automaticamente na competência correspondente.


§2º. Os contribuintes emissores de NFS-e deverão declarar, através do sistema de ISSQN Eletrônico, os serviços tomados.


Art. 6º. A Secretaria Municipal de Planejamento e Gestão poderá autorizar, ainda, por regime especial, a emissão da Nota Fiscal Eletrônica Conjunta ISSQN/ICMS, para contribuintes do ICMS, mediante Convênio com o Estado de Minas Gerais.


Parágrafo Único. Enquanto não for celebrado o Convênio, fica vedada a emissão de Nota Fiscal Eletrônica Conjunta ISSQN/ICMS.

Art. 7º. Os contribuintes prestadores de serviços e não emissores de Nota Fiscal de Serviços Eletrônica – NFS-e deverão declarar, através do sistema de ISSQN Eletrônico, os serviços prestados e tomados, especialmente os Cartórios de Notas e de Registro, bem como, as Instituições Financeiras e assemelhadas.


Art. 8º. As empresas que executam atividade de intermediação financeira, banco, administração de cartões de crédito, administração de consórcio e educação deverão, na forma do regulamento a ser expedido, apresentar declaração de movimento dos serviços prestados, especificando, no caso de intermediação financeira e bancos, as contas e sub-contas tributadas pelo imposto; no caso de escolas, a relação de alunos e valor da mensalidade; na administração de consórcio, a quantidade de cotas.


Art. 9º. Antes da vigência desta Lei, poderá o Município, e caso necessário, proceder a disponibilização para grupo de contribuintes e por amostragem, o Sistema emissor de NFS-e para fase de testes, sendo que, neste período, nenhum documento emitido através do sistema terá valor fiscal, servindo apenas como projeto piloto para os demais, cujas notas emitidas sairão com a expressão “Sem Valor Fiscal”.


Parágrafo Único. Durante o período de testes, deverão os contribuintes selecionados e usuários do sistema de NFS-e emitir as respectivas Notas Fiscais de Serviço da forma já convencional, via bloco ou formulário contínuo.


Art. 10. Esta lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.



Cássia/MG, 12 de agosto de 2013.



Rêmulo Carvalho Pinto

Prefeito Municipal


* Nota: O conteúdo disponibilizado é meramente informativo não substituindo o original publicado em Diário Oficial.
Atos relacionados por assunto
c
Ato Ementa Data
DECRETO Nº 24, 02 DE MARÇO DE 2018 Dispõe sobre a atualização dos valores e regulamenta a cobrança do IPTU, das taxas de coleta de lixo e de conservação de calçamentos e da contribuição para iluminação pública de terrenos não edificados, fixa data de vencimento do ISSQN e TLLF para o exercício de 2018 e dá outras providências. 02/03/2018
DECRETO Nº 73, 24 DE MAIO DE 2017 Dispõe sobre a atualização dos valores e regulamenta a cobrança do IPTU, das taxas de coleta de lixo e de conservação de calçamentos e da contribuição para iluminação pública de terrenos não edificados, fixa data de vencimento do ISSQN e TLLF para o exercício de 2017 e dá outras providências. 24/05/2017
DECRETO Nº 19, 16 DE JANEIRO DE 2017 Dispõe sobre a atualização dos valores e regulamenta a cobrança do IPTU, das taxas de coleta de lixo e de conservação de calçamentos e da contribuição para iluminação pública de terrenos não edificados, fixa data de vencimento do ISSQN e TLLF para o exercício de 2017 e dá outras providências. 16/01/2017
LEI ORDINÁRIA Nº 1524, 08 DE MARÇO DE 2013 Dispõe sobre alteração da Lei Municipal nº 1495/2012, 3 de fevereiro de 2012. 08/03/2013
DECRETO Nº 21, 02 DE MARÇO DE 2012 Dispõe sobre a atualização dos valores e regulamenta a cobrança do IPTU, das taxas de coleta de lixo e de conservação de calçamentos e da contribuição para iluminação pública de terrenos não edificados, fixa data de vencimento do ISSQN e TLLF para o exercício de 2012 e dá outras providências. 02/03/2012
DECRETO Nº 41/2022, 12 DE MAIO DE 2022 ESTABELECE REQUISISTOS E FIXA PREÇO PÚBLICO PARA O COMÉRCIO PROVISÓRIO DURANTE A REALIZAÇÃO DAS FESTIVIDADES DO MÊS DE MAIO DE 2022 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS 12/05/2022
DECRETO Nº 86/2021, 27 DE MAIO DE 2021 "DISPÕE SOBRE PRORROGAÇÃO DA DATA DE VENCIMENTO DE TRIBUTOS MUNICIPAIS DE 2021 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS". 27/05/2021
DECRETO Nº 24, 02 DE MARÇO DE 2018 Dispõe sobre a atualização dos valores e regulamenta a cobrança do IPTU, das taxas de coleta de lixo e de conservação de calçamentos e da contribuição para iluminação pública de terrenos não edificados, fixa data de vencimento do ISSQN e TLLF para o exercício de 2018 e dá outras providências. 02/03/2018
DECRETO Nº 141, 27 DE SETEMBRO DE 2017 “Fixa preço público a ser cobrado pelo Município, pela utilização de bem público municipal e dá outras providências”. 27/09/2017
DECRETO Nº 118, 03 DE AGOSTO DE 2017 Dispõe sobre a regulamentação do Valor de Terra Nua – VTN para apuração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural – ITR e dá outras providências. 03/08/2017
Minha Anotação
×
LEI ORDINÁRIA Nº 1538, 12 DE AGOSTO DE 2013
Código QR
LEI ORDINÁRIA Nº 1538, 12 DE AGOSTO DE 2013
Reportar erro
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Seta
Versão do Sistema: 3.2.9 - 07/12/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia